Mobile Health: Como se preparar para o futuro?

Segurança do paciente, eficiência operacional e redução de custos, estes são alguns dos impactos causados pela aplicação da mobilidade no cotidiano das instituições de saúde. A Health-IT conversou com o diretor de tecnologia e produto da Pixeon, André Silveira, sobre o assunto. Além do impacto na operação, outro ponto sensível, e destacado pelo executivo,  é a segurança da informação, ” Alguns estudos apontam que a estimativa é de que a receita global com segurança para a tecnologia da informação chegue a US$ 101,6 bilhões em 2020, sendo que somente na área da saúde deve crescer 10,3% (IDC Brasil).  Isso mostra o quanto este tema está presente no mindset das instituições.”

André Silveira: diretor de tecnologia e produto da Pixeon

Health-IT Como a mobilidade vem influenciando a assistência ao paciente nas instituições de saúde?

André Silveira A tecnologia é, sem dúvida alguma, uma grande aliada na busca pelos melhores níveis de atendimento aos pacientes e de qualidade de vida de médicos e enfermeiros. A aplicação da mobilidade em instituições de saúde permite que profissionais da área tenham acesso a dados do prontuário eletrônico, por exemplo, além de possibilitar ao médico fazer o registro digital de informações diretamente no leito, o que reduz as chances de erro ou perda de dados importantes. Evita, ainda, que ocorram falhas médicas, como erros de dosagens e interações medicamentosas, que juntas correspondem a quase 50% do total de falhas em instituições de saúde (US Center for Disease Control and Prevention – CDC).

Com sistemas que permitem mobilidade, como é o caso do beira-leito da Pixeon, existe também o aumento da segurança do paciente, pois informações são disponibilizadas de forma rápida, dando suporte às decisões clínicas, com alertas de horários e medicamentos corretos para aquele determinado paciente. Ou seja, a mobilidade permite que dados sejam registrados ou consultados durante o atendimento e aumenta a segurança no serviço prestado pelos profissionais de saúde.

Health-IT Como as instituições de saúde devem se preparar para receber cada vez mais tecnologias móveis baseadas em IoT?

André Silveira Primeiramente, é importante destacar que nem sempre aplicações móveis estão atreladas a Internet das Coisas. No entanto, como a tecnologia é dinâmica e seus avanços caminham a passos largos, as instituições de saúde precisam considerar sistemas de gestão que já estejam se adequando para receber as novidades tecnológicas. E contar com fornecedores capazes de entregar soluções completas que coletam e processam as informações, a fim de agregá-las ao prontuário eletrônico do paciente para que os profissionais de saúde tenham acesso e possam trabalhar de maneira mais assertiva.

Health-IT Quais os riscos para a segurança da informação com a adoção cada vez maior de dispositivos móveis na prática assistencial?

André Silveira Organizações estão cada vez mais preocupadas com a segurança da informação. Alguns estudos apontam que a estimativa é de que a receita global com segurança para a tecnologia da informação chegue a US$ 101,6 bilhões em 2020, sendo que somente na área da saúde deve crescer 10,3% (IDC Brasil).  Isso mostra o quanto este tema está presente no mindset das instituições, ainda que cada uma delas tenha uma demanda específica sobre o conceito de privacidade, levando em conta suas experiências, cultura organizacional etc.

A segurança das informações vai além da tecnologia: prevê aspectos físicos, lógicos e controles de acesso – garantindo que os dados estejam disponíveis e integrados, e cuidando para que apenas pessoas autorizadas tenham acesso a certas informações.

Health-IT Qual o impacto na segurança do paciente?

André Silveira A mobilidade traz mais segurança ao ambiente da instituição de saúde, pois permite que os profissionais prestem assistência ao paciente com o suporte das verificações do sistema e o acesso a informações adicionais que possam ajudar nas decisões médicas. Além disso, evita que ocorram falhas humanas durante o atendimento, como erros de prescrição, ordem de entrada e dispensa e administração de medicamentos, pois disponibiliza ao profissional acesso a informações precisas e atualizadas do prontuário eletrônico do paciente. Por exemplo, durante o período de homologação de nossa solução, o “beira-leito”, em um hospital em Salvador, observou-se redução de 16% em relação ao número médio de near miss, eliminação de 100% das falhas na identificação do paciente, queda de 58% na ausência de prescrição ou checagem, melhora de 35% na ausência ou irregularidade de anotações de enfermagem, e 34% menos eventos adversos por erro em medicações.

Health-IT Quais os benefícios para as instituições de saúde? Impacta diretamente nos ganhos?

André Silveira A mobilidade traz inúmeros benefícios às instituições de saúde, entre os principais se destacam o aumento na segurança do paciente e a eficiência nos processos. A checagem e a curadoria das informações garantem a segurança. Já o fato das informações poderem ser verificadas no momento do atendimento, promove a eficiência operacional.

Além disso, evita retrabalho, gastos com terapias corretivas, testes adicionais e novas medicações. Os benefícios em qualidade de vida proporcionados aos profissionais também não devem ser desconsiderados, mas o principal ganho para a instituição de saúde é o reforço de sua credibilidade, proporcionado pela preocupação com os cuidados e a saúde dos pacientes.